22 de set de 2013

O AMOR SUPERA TUDO


Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus ben em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!
 
A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila om a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
 
A caridade jamais acabará. ( Icor 13, 1-8).
São Paulo usa a palavra caridade para falar do amor. Segundo ele o amor tudo pode. Sentimento esse que desde que o homem é homem sempre existiu.
 
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário