27 de nov de 2015

O JOVEM E O MUNDO DO CRIME

Nos nossos dias atuais é grande a quantidade de jovens que se enveredam pelo mundo do crime.  Por que isso esta acontecendo? De quem é a culpa?

Hoje a delinquência juvenil esta em todas as classes sociais, independentemente de sua cor ou posição social. As causas são as mais diversas possíveis. 

Segundo Merval Rosa em seu livro Psicologia Evolutiva citar três fatores em que resume as causas da delinquência juvenil que são: a supergratificação, a superestimulação e a supervisão.

Na superestimulação ele diz que os jovens tem desejo de experimentar novas sensações, nessa ânsia de buscar novas experiências de superação os jovens podem ser levados a fazer experiências muitas vezes negativas como o uso de entorpecentes.

Na supergratificação o individuo tem todas as necessidades sempre atendidas, quando isso não acontece seu mundo desmorona.

E por fim o último item citado por Merval Rosa, se dar pelo fato da experiência da rejeição dos pais. Quando isso acontece os jovens procura apoio em determinados grupos que lhe dão certa sensação de segurança para o indivíduo.

Podemos afirmar que não existe apenas um culpado ou apenas um fator para a degradação de nossa juventude. São vários fatores que podem levar ao jovem a desenvolver uma mente doentia, como família, a escola e a sociedade, todos tem sua parcela de culpa.

A crise de identidade na adolescência pode varia de indivíduo para indivíduo, de cultura para cultura, isto é, para a psicologia não existe um padrão único, universal, isto vai depende do ambiente social em que o indivíduo esta inserido.

Na postagem: “Dez maneiras de se criar um delinquente ou viciado” mostra que pais muito protetores poderá se tornar seus filhos em um indivíduo desequilibrado. 

Portanto, como diz o velho ditado, tudo em excesso é prejudicial, ou seja, nem oito ou oitenta.  
   

11 de out de 2015

A IMPORTÂNCIA DE NOSSAS ESCOLHAS

O Brasil é um país que respira política, a cada dois anos, o povo brasileiro volta as urnas para escolher seus representantes por meio do voto. 

Rachel de Queiroz tem uma bela mensagem para todos, quando tratar-se da escolha de nossos representantes. 




O texto foi publicado em 1947 numa revista semana chamada  "O Cruzeiro". 



Fica ai a dica leia para reflita: 
Observação: A ortografia é da época.


"Não sei se vocês têm meditado como devem no funcionamento do complexo maquinismo político que se chama governo democrático, ou govêrno do povo. Em política a gente se desabitua de tomar as palavras no seu sentido imediato. No entanto, talvez não exista, mais do que esta, expressão nenhuma nas línguas vivas que deva ser tomada no seu sentido mais literal: governo do povo. Porque, numa democracia, o ato de votar representa o ato de FAZER O GOVERNO.
Pelo voto não se serve a um amigo, não se combate um inimigo, não se presta ato de obediência a um chefe, não se satisfaz uma simpatia. Pelo voto a gente escolhe, de maneira definitiva e irrecorrível, o indivíduo ou grupo de indivíduos que nos vão governar por determinado prazo de tempo.
Escolhem-se pelo voto aqueles que vão modificar as leis velhas e fazer leis novas – e quão profundamente nos interessa essa manufatura de leis! A lei nos pode dar e nos pode tirar tudo, até o ar que se respira e a luz que nos alumia, até os sete palmos de terra da derradeira moradia.
Escolhemos igualmente pelo voto aqueles que nos vão cobrar impostos e, pior ainda, aqueles que irão estipular a quantidade desses impostos. Vejam como é grave a escolha desses “cobradores”. Uma vez lá em cima podem nos arrastar à penúria, nos chupar a última gota de sangue do corpo, nos arrancar o último vintém do bolso.
E, por falar em dinheiro, pelo voto escolhem-se não só aqueles que vão receber, guardar e gerir a fazenda pública, mas também se escolhem aqueles que vão “fabricar” o dinheiro. Esta é uma das missões mais delicadas que os votantes confiam aos seus escolhidos. Pois se a função emissora cai em mãos desonestas, é o mesmo que ficar o país entregue a uma quadrilha de falsários. Eles desandam a emitir sem conta nem limite, o dinheiro se multiplica tanto que vira papel sujo, e o que ontem valia mil, hoje não vale mais zero.
Não preciso explicar muito êste capítulo, já que nós ainda nadamos em plena inflação e sabemos à custa da nossa fome o que é ter moedeiros falsos no poder. Escolhem-se nas eleições aquêles que têm direito de demitir e nomear funcionários, e presidir a existência de todo o organismo burocrático.
E, circunstância mais grave e digna de todo o interêsse: dá-se aos representantes do povo que exercem o poder executivo o comando de tôdas as forças armadas: o exécito, a marinha, a aviação, as polícias.
E assim, amigos, quando vocês forem levianamente levar um voto para o Sr. Fulaninho que lhes fez um favor, ou para o Sr. Sicrano que tem tanta vontade de ser governador, coitadinho, ou para Beltrano que é tão amável, parou o automóvel, lhes deu uma carona e depois solicitou o seu sufrágio – lembrem-se de que não vão proporcionar a esses sujeitos um simples emprego bem remunerado. Vão lhes entregar um poder enorme e temeroso, vão fazê-los reis; vão lhes dar soldados para eles comandarem – e soldados são homens cuja principal virtude é a cega obediência às ordens dos chefes que lhe dá o povo. Votando, fazemos dos votados nossos representantes legítimos, passando-lhes procuração para agirem em nosso lugar, como se nós próprios fossem. Entregamos a esses homens tanques, metralhadoras, canhões, granadas, aviões, submarinos, navios de guerra – e a flor da nossa mocidade, a eles presa por um juramento de fidelidade. E tudo isso pode se virar contra nós e nos destruir, como o monstro Frankenstein se virou contra o seu amo e criador.
Votem, irmãos, votem. Mas pensem bem antes. Votar não é assunto indiferente, é questão pessoal, e quanto! Escolham com calma, pesem e meçam os candidatos, com muito mais paciência e desconfiança do que se estivessem escolhendo uma noiva. Porque, afinal, a mulher quando é ruim, dá-se uma surra, devolve-se ao pai, pede-se desquite. E o governo, quando é ruim, ele é que nos dá a surra, ele é que nos põe na rua, tira o último pedaço de pão da boca dos nossos filhos e nos faz apodrecer na cadeia. E quando a gente não se conforma, nos intitula de revoltoso e dá cabo de nós a ferro e fogo.
E agora um conselho final, que pode parecer um mau conselho, mas no fundo é muito honesto. Meu amigo e leitor, se você estiver comprometido a votar com alguém, se sofrer pressão de algum poderoso para sufragar este ou aquele candidato, não se preocupe. Não se prenda infantilmente a uma promessa arrancada à sua pobreza, à sua dependência ou à sua timidez. Lembre-se de que o voto é secreto.
Se o obrigam a prometer, prometa. Se tem medo de dizer não, diga sim. O crime não é seu, mas de quem tenta violar a sua livre escolha. Se, do lado de fora da seção eleitoral, você depende e tem medo, não se esqueça de que DENTRO DA CABINE INDEVASSÁVEL VOCÊ É UM HOMEM LIVRE. Falte com a palavra dada à força, e escute apenas a sua consciência. “Palavras o vento leva, mas a consciência não muda nunca, acompanha a gente até o inferno”.




Rachel de Queiroz nasceu em Fortaleza em 17 de novembro de 1910 e faleceu no dia 04 de novembro de 2003






17 de set de 2015

O DESVANEIO DO MUNDO MODERNO

A raça humana difere-se dos demais animais, pelo uso da razão, pela capacidade  de viver em sociedade e  de amar. 

Com isso, não quer dizer que o sentimento do amor seja apenas dádiva humana.

O mundo moderno poderia ser diferente e bem melhor viver para todos, já que a tendência do homem é evolui, e se espera que essa evolução seja para o próprio bem do mesmo, nas novas tecnologias, novas descobertas na medicina.

O que a gente ver é algo triste e muito preocupante para a raça humana. Erros do passado sendo repetidos hoje como as guerras, fomes e doenças. . .

A guerra nunca foi boa, nem para quem ganha ou para que perde. 

A fome apesar das novas descobertas das sementes transgênicas e outras descobertas. Hoje não dar para pensar como ainda existe gente que passa fome.

O aumento das doenças, mesmo com o avanço da medicina. O número de pessoas doentes não para de crescer.

Por que tudo isso esta acontecendo com o mundo?

Podemos dizer que o problema esta nas outras pessoas, no sistema, nos governantes e que eu não tenho nada haver. Tudo isso tem um pouco de verdade.

Quem pensa que a culpa esta só no outro,  esta enganada, a culpa é de todos. É nas pequenas coisas do dia a dia que a verdadeira mudança acontece, se cada um fizer sua parte nesse mundo, o mundo seria bem melhor.


O mundo esta do jeito que esta porque o homem perdeu a capacidade de perdoar e amar outro, ser menos egoísta.

Quando você esta bem com você mesmo, tudo em sua volta fluir melhor. 
  

1 de set de 2015

O PESO DA VIDA

O homem ainda não se deu conta de que ele é apenas um peregrino nesse mundo, e que sua vida não dura um pouco mais de 100 anos ou menos.

O que ele faz? 

Vive toda sua vida só acumulando bens materiais, por mais que ele acumule ele não é dono de nada, nem da própria vida. E muitas vezes esquece de ser feliz. 

E como ser feliz?

Talvez, você não tenha a resposta e nem eu.  Mas posso garantir que a vida é feita de momentos feliz. 

Como vivemos em uma época, e toda sociedade é regida pelo momento, seja ele econômico, ideológico ou não, tudo isso tem influência  na vida das pessoas, o medo de um futuro de miséria e de fome, uma doença grave. Faz com que o homem pense em acumular o máximo que pode sua riqueza, outros é apenas questão de stato, poder, egoismo. 

O que acontece com tudo isso, quando ele se for para o outro plano?

O que acumulou fica para os seus, já que o mesmo não pode levar.

A pessoa esquece de vive, e quando acorda para essa realidade já é tarde de mais.

Seja feliz. Faça os outros felizes. Use de tudo que acumulou ( riquezas, poder), como se não fosse seu. Lembre que nem a vida, que é o bem mais preciso, lhe pertence. Hoje você esta vivo, amanhã poderá não estar mais.

Torne a sua vida menos pesa, saia com a família, com os amigos, viva a vida, enquanto pode, porque tudo mais passa. Lembre-se que apos uma noite de escuridão, vem um novo dia. Não deixe o medo, a insegurança te dominar. 

30 de ago de 2015

11 de ago de 2015

A COLHEITA



"LEMBRE-SE de que colheremos, infalivelmente, aquilo que houvermos semeado.
Se estamos sofrendo, é porque estamos
colhendo os frutos amargos das sementeiras
errôneas do passado.
Fique alerta quanto ao momento presente!
Plante apenas sementes de otimismo e
de amor, para colher amanhã os frutos
doces da alegria e da felicidade.
Cada um colhe, exatamente, aquilo que plantou."

créditos: 
Texto: Minutos de Sabedoria de Carlos Torres Pastorino   
imagem: Teologia e Vida

23 de jul de 2015

RELAÇÃO CONFLITUOSA


O homem é um ser sociável, isto é, vive em sociedade (grupo), e se relaciona com seu semelhante, porém, em muitos casos essa relação se dar de maneira conflituosa. 

Dentre todos os animais o ser humano é o único que matar por prazer, ou por achar que o outro representa uma ameaça para ele.

O filósofo francês Jean Paul Sarte escreveu uma frase muito conhecida em que ele afirma que ''o inferno, são os outros". Para sua época uma afirmação dessa parece um pouco estranha, já para nossos dias atuais parece ser algo natural.

Por outro lado, sabemos até mesmo por uma questão de sobrevivência da raça humana, o mesmo não pode viver isolando. E porque o homem ver o outro como seu inimigo?

Vivemos numa sociedade em que a vida perdeu seu verdadeiro sentido. Cada um procura tirar o máximo de proveito de tudo e de todos. No qual o mais  forte procura dominar o mais fraco e obter vantagens em tudo.

A vida até que parece ser uma coisa simples, mas o homem é que coisa de complicar, tornando um fardo pesado. 

O homem tem que para de guerrear, já ficou provado que a guerra não leva a lugar algum, só traz perca para todos.

Procure viver a vida da melhor maneira possível, sendo uma pessoa amável, e amigável. Não seja para o outro um fardo.






14 de jun de 2015

PARA RELAXAR


Palavras Cruzadas

Completar as palavras cruzadas clicando em um número na grade para ver as pistas. Digite a palavra e clik em enter.
    1      2          3       
            4           
5                       
6                  7       
                     
        8               
                     
                     
            9           
    10                   
                     


11 de jun de 2015

MENSAGEM RELIGIOSA


video



Composição: Celina Borges
Interpretação: Padre Fabio de Melo
Edição: Cláudia Fudis

6 de jun de 2015

DEIXE SUA MARCA

O homem e sua crise existencial. Desde muito tempo o homem tem sem feito perguntas do tipo: Quem eu sou? De onde vir? Para onde vou? Deus existe? O céu existe? O inferno existe? O que estamos fazendo nesse mundo?

São tantas as perguntas tem feito. A filosofia foi uma das primeiras a buscar encontrar respostas para essas e outras perguntas do tipo. A ciência e a religião também procuram dar resposta para essas perguntas, cada uma a sua maneira.

O que pode acontece quando o homem busca essas respostas e não as encontras, seja na filosofia, nas ciências ou na religião?

Ao passa por essa crise e não encontrar apoio, ele pode entrar em um estado depressivo.
  
O livro do Eclesiástico no capítulo 44, nos mostra que podemos vive a nossa vida de duas maneiras, ou seja, existem dois tipos de pessoas que passam nesse mundo. E quais são estas pessoas?

Aquelas que passam pelo mundo sem deixar marcas, com se nunca tivesse existido.

O outro tipo de pessoas são aquelas passaram pelo mundo e deixam suas marcas. Essas sempre serão lembradas.

Vamos deixar algo de bom para as futuras gerações, um mundo melhor de paz, amor e harmonia. Nem que seja um pequeno gesto de amor e carinho. 

Os grandes homens de nossa história foram aqueles que fizeram pequenas coisas, diante dos olhos do mundo, como São Francisco, Mahatma Grandhi, Madre Teresa de Calcutá, entre outros.   


Não deixe para amanhã aquilo que você pode fazer hoje. Pois o amanhã pode ser muito tarde. 

Não faça igual as pessoas que o livro Sagrado citam, que passa pela vida como se não existisse.

A CULTURA DO DESCARTÁVEL

Hoje vivemos em uma sociedade em que se prática a cultura do descartável. O que venha a ser isso? Como isso vem prejudicando a vida das pessoas no dia a dia? 
Essa prática se dar de duas maneiras diferentes, ou seja, conscientemente ou inconscientemente. 

Quando se trata de objetos ou coisas, isso se dar de maneira consciente. O mercado é que dita as regras. Quanto mais às pessoas compram mais dinheiro, que é a mola compulsória do mercado, entra nas empresas e ai vem o lucro no final do mês. 

Sendo assim, os produtos são fabricados para durarem por um tempo pré-determinado. Outra estratégia encontrada pelo o mercado para atrair mais clientes é acrescentando algumas novidades (itens) a esses produtos para chamar a atenção das pessoas, ou oferece promoções. Até ai não há nada de anormal, se essa cultura do descartável não viesse até influência nas vidas das pessoas como um todo. 

Vivemos num mundo capitalista e numa cultura de consumismo tão grande que a pessoa humana é deixada em segundo plano. 

As notícias são descartáveis, as músicas são descartáveis. O que era novidade hoje, amanhã já é ultrapassado, velho e não serve mais. Tudo parece ser descartável, os objetos, as pessoas, as relações, a vida.

Quando essa cultura do descartável esta ligada as pessoas o problema parece ser bem mais grave, já que muitas vezes se dar de maneira até mesmo inconsciente. Até o Papa Francisco se mostrou muito preocupado pelo rumo que o mundo esta tomando. Coisas descartáveis até se aceita, mas pessoas, vida, relacionamentos, descartáveis jamais devemos aceita. 

"Nós estamos vivendo um momento de crises; vemos isso no ambiente, mas, sobretudo, no homem. A pessoa humana está em perigo: isto é certo, a pessoa humana hoje está em perigo, eis a urgência da ecologia humana! E o perigo é grave porque a causa do problema não é superficial, mas profunda: não é somente uma questão de economia, mas de ética e de antropologia. A Igreja destacou isso muitas vezes; e muitos dizem: sim, é certo, é verdade… mas o sistema continua como antes, porque aquilo que domina são as dinâmicas de uma economia e de uma finança carentes de ética. Aquilo que comanda hoje não é o homem, é o dinheiro, o dinheiro, o dinheiro comanda. E Deus nosso Pai deu a tarefa de cuidar da terra não ao dinheiro, mas a nós: aos homens e mulheres, nós temos esta tarefa! Em vez disso, homens e mulheres sacrificam-se aos ídolos do lucro e do consumo: é a “cultura do descartável”. Se um computador quebra é uma tragédia, mas a pobreza, as necessidades, os dramas de tantas pessoas acabam por entrar na normalidade. Se em uma noite de inverno, aqui próximo na rua Ottaviano, por exemplo, morre uma pessoa, isto não é notícia. Se em tantas partes do mundo há crianças que não têm o que comer, isto não é notícia, parece normal. Não pode ser assim! No entanto essas coisas entram na normalidade: que algumas pessoas sem teto morram de frio pelas ruas não é notícia. Ao contrário, a queda de dez pontos na bolsa de valores de uma cidade constitui uma tragédia. Um que morre não é uma notícia, mas se caem dez pontos na bolsa é uma tragédia! Assim as pessoas são descartadas, como se fossem resíduos."

A cultura do descartável descarta tudo, inclusive as pessoas.
Esta “cultura do descartável” tende a se transformar mentalidade comum, que contagia todos. A vida humana, as pessoas não são mais consideradas como valor primário a respeitar e cuidar, especialmente se é pobre ou deficiente, se não serve ainda – como o nascituro – ou não serve mais – como o idoso. ( Praça de São Pedro, 5 de junho de 2013)

Ele  chega a afirma de que o homem esta em perigo. As pessoas vivem hoje cada uma preocupadas com o próprio umbigo. São pessoas egocêntricas, narcisistas, e cada uma procurando salvar a própria pele, como se outro não existisse ou não fizessem parte de nossas vidas.    

As palavras do Papa Francisco nos leva a refletir para um problema muito sério em que passa o mundo e o perigo do descartável, principalmente nas relações humana.


16 de mai de 2015

A RESPIRAÇÃO RELACIONADA A SAÚDE FÍSICA E MENTAL


A respiração é muito importante para a saúde física e mental de qualquer individuo, a falta de oxigênio  poderá acarretar não só a morte de algumas células como a morte física da pessoa.

É através do processo da respiração que mantemos nossas células alimentadas. Uma boa saúde do homem depende, portanto, da quantidade de oxigênio absorvido através da respiração. A respiração tida como normal consiste nada, mas nada menos do que  inspirar e expirar.

Para as pessoas ansiosas ou nervosas demais vai um dica de como usar a respiração para acalmar a ansiedade ou o nervosismo.

1. Exercício:

1.1 Inspira pelo nariz
1.2 Dar uma pausa
1.3 Expira pela boca lentamente.
Obs: Fazer esse exercício várias vezes.

2º Exercício:

2.1  procure relaxar, sentado;
2.2 inspirar, lentamente, pelo nariz durante 7 segundos aproximadamente;
2.3 segure a respiração durante 14 segundos aproximadamente;
2.4 solte o ar (expirar) lentamente pela boca;
Obs: repita este exercício durante uns 10 minutos.

3º Exercício:

3.1 Expirar lentamente fazendo soar o som da letra S até esvaziar os pulmões.
3.2 Quando os pulmões estiverem completamente vazios, não tenha pressa para inspirar o ar novo, deixe o tórax abrir espontaneamente e o ar penetra sem esforço.
3.3 Agora  respire  normalmente de acordo com o ritmo exigido pelo organismo.

4º Exercício:

4.1 durante o banho debaixo do chuveiro com água natural;
4.2 deixe a água cai por todo corpo, sem agitação procure respirar por alguns minutos.

4.3  vence o pânico ou a sensação de afogamento.

25 de abr de 2015

OS JOVENS E A SEXUALIDADE

Com o amadurecimento tanto físico quanto psíquico na juventude, surge na adolescência o despertar da sexualidade, isso é natural não há nenhum mal nisso. Porém, vivemos numa sociedade de extremo, quando o assunto é sexualidade:

- Não falar sobre ele: a qual chamamos de "tabu". Essa tem sindo uma atitude das gerações passada mas, que ainda hoje se encontra presente em várias situação. Principalmente quando as famílias e a escola não se encontram preparados para trabalhar com os jovens temas relacionados a sexualidade. 

-Falar em demasia: É um fato que acontece em nossos dias, isto é, passamos de um extremo ao outro. Tudo gira em torno da sexualidade. Quando não é trabalhado de maneira correta, torna-se um problema, principalmente na cabeça dos jovens. Para eles tudo gira em torno do sexo, conversas, brincadeiras... Sai da área do tabu para a banalização do sexo.

-O sexual considerado isoladamente: Nesse tópico procura se isolar ou separar a sexualidade da personalidade, como se isso fosse possível.
O homem é completo e complexo, não podemos isolar uma parte do seu ser.  

Portanto, a sexualidade ela faz parte de um todo, o homem nasce sexuado, isto é, quando falamos da sexualidade não estamos se referindo apenas a genitalidade e ao ato sexo, mas a todo conjunto de valores que incluir a personalidade e o amor.

A adolescência e crises sexuais: durante adolescência os jovens passam por momentos de crise nos valores sexuais, principalmente se ele não foi bem orientado (educado) nessas coisas. Para essa desorientação sexual podemos citar alguns fatores como: as más iniciações sexuais, a masturbação*, quando é vício, as experiências sexuais e amorosas em idade prematura, o meio em que vive, os meios de comunicação social.

Vejamos o que diz Merval Rosa em seu livro Psicologia Evolutiva, com relação a masturbação: " A masturbação é considerada desvio sexual  apenas quando ela se torna a única preferência erótica do indivíduo, impedindo assim que ele desenvolva uma atitude saudável para as relações heterossexuais. Quando ela não se torna a única preferência do indivíduo, a masturbação é considerada normal entre adolescentes."(vol.3,p.62,Petrópolis-1988).

Grandes traumas psicológico surge por homem justamente quando essa área não é bem orientada e trabalhada.

Uma boa educação sexual sadia, poderia ajudar os jovens a superar essas crises, dando lhes um clima de maior confiança. Os pais e educadores tem um papel muito importante nessa orientação. O problema é que muitas vezes, tantos os pais quanto os educadores não se sentem preparados para tratar de um tema como esse. 




  

29 de mar de 2015

O AMOR

Muitos se têm falando do  amor, seja na poesia, na música, no teatro, seja na vida real.

Neste momento quero apenas entre tantos que tem falado do amor. Meu objetivo não é fazer um tratado do que venha a ser o amor ou procurar conceitua, pois isso já foi feito por outras pessoas.

Para começo de conversa cito um grande personagem e ilustre filósofo Platão, em seu livro o Banquete, Platão narra uma cena entre Sócrates e seus discípulos em que o mesmo procura descrever o que venha a ser o amor.

Ele cita que existem vários tipos de amor como, por exemplo: o amor entre os esposos e a esposa, entre os pais e os filhos, o amor entre os amigos, o amor entre os namorados.

Um ponto importante que Platão mostra é que entre esses diversos tipos de amor ainda existem o amor puramente carnal ou o amor por interesses.

No entanto, existe um tipo de amor que esta acima de tudo o qual ele chama “amor ao belo”. Quem é esse belo do qual ele se refere?

Ele mesmo não consegue explicar com palavras quem é esse belo, mas ele sabe que existe algo de tão belo e que não esta ao nosso alcance.

Alguns filósofos achavam que Platão estava falando da sabedoria. Ao certo é que não sabemos, podemos deduzir que poderia ser um ser supremo, um deus, já que na época de Platão se cultuava vários deuses ou até mesmo a deusa sabedoria (Atena).  Mas isso ele não deixou claro, tudo mais são apenas especulações feitas por mentes humanas.

Esse tipo de amor ao belo era um amor desinteressado e puro.

Na história humana encontramos um fato nada normal entre o homem e seu criador. Isto é, um Deus que amar o seu povo de maneira incondicional. Seria esse o belo do qual se referia Platão?

Vejamos o que diz profeta Isaías no capítulo 59, versículo 15, quando se refere ao Deus supremo. “Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela esquecesse, eu não te esqueceria nunca.”

Em uma passagem do evangelho de João 3,16; João mostra o grão grande é esse amor do Deus Criador por sua criatura: "Deus amou de tal modo o mundo que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não se perca, mas tenha a vida eterna".


Um Deus que dar seu filho, para que o mesmo seja morto pelo amor dos homens. Existe um amor maior do que esse?