25 de jun de 2013

A ANSIEDADE E O INDIVíDUO

Todos nós sofremos desse mal, sendo que uns mais, outros menos,  no entanto, existem dois tipos de pessoas as que são normais e os doentes graves. O primeiro grupo consegue conviver e controlam a ansiedade, enquanto os doentes graves, esses últimos precisam de um acompanhamento de um profissional da área de psicologia.

Algumas destas doenças podem ser mentais, ou chamadas de doenças psicossomáticas. Essas pessoas sofrem de um grave mal-estar interno, sente que algo não esta funcionando bem em sua vida. E muitas vezes procuram se isolar.

Quando essas coisas (sintomas) surgem de situações reais e objetivas, geralmente não se trata de uma verdadeira doença mental, mas de uma reação natural do indivíduo. É natural uma pessoa, por exemplo, ficar ansiosa em uma determinada situação que para ela é algo novo, como uma apresentação em público, um entrevista de emprego, etc. A pessoa ansiosa tem sempre medo de errar, levando a uma situação de insegura. Vejamos o que diz Pedro Finkler em seu livro Corpo São e Mente sã, quando cita os tipos de ansiedades.

Tampouco deve confundir-se com ansiedade neurótica certa inquietude natural, quando buscamos a solução para um problema. A preocupação com os grandes problemas da existência humana deve ser catalogada com angústia existencial, que nada tem a ver com a ansiedade patológica propriamente dita. (Finkler,1987,p.66).


Outro motivo que leva a ansiedade ao indivíduo considerara natural é a angústia existencial, que quase todas as pessoas normais se deparam. São perguntas sobre sua própria existência, tipo de onde vir e para onde eu vou, existe vida pós- morte. São perguntas relacionadas com a própria origem, que só a filosofia ou a religião, principalmente para os que têm fé, podem dar alguma resposta.

Os distúrbios causados pela ansiedade se confundem com outros tipos de distúrbios como o estresse e a depressão, ou seja, os sintomas são muitos semelhantes, dependendo do grau da ansiedade ela pode ser tão destruidora quanto a depressão ou o estresse.

Conceito de Estresse ou stresse  pode ser definido como (a) a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores), o desgaste físico e mental.


O estresse pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida e a exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentir um determinado tipo de angústia. Quando os sintomas de estresse persistem por um longo intervalo de tempo, podem ocorrer sentimentos de evasão (ligados à ansiedade e depressão). Os nossos mecanismos de defesa passam a não responder de uma forma eficaz, aumentando assim a possibilidade de vir a ocorrer doenças, especialmente cardiovasculares.


Controle suas emoções e seus medos. Hoje existem além dos profissionais, para aqueles casos mais graves, outras terapias seja em grupo ou individual. Leia um bom livro, faça uma caminhada, uma boa conversa com os amigos, sorria.  

Um estilo de vida e engajamento parece ser mais propício para trazer a felicidade do que uma existência passiva.

2 de jun de 2013

EDUCAR É PRECISO


A primeira educação dos filhos é dada por seus pais. É no lar em uma família equilibrada e ajustada que se forma o caráter de uma pessoa.

Lembrando que quando a criança é muito pequena, e parece não saber de nada, mesmo assim é possível ensinar com carinho, amor e respeito, pois nessa fase a criança aprende dos adultos pela observação, isto é, o exemplo falar muito mais do que as palavras.

Quando maior além dos exemplos dado pelos pais e parentes da criança, os conselhos são muito importantes, uma conversa amiga de pai para filho, faz muita a diferença. Conselhos é diferente de ficar pegando no pé do filho. Dê a ele certa liberdade e mostre que confia nele. Faça da criança uma pessoa independente, capaz de tomar decisões.

Não viva a vida dele. Apenas mostre que ele é importante e que dependendo de suas escolhas ele poderá vir ou não a sofrer.

Castigue se for preciso. Veja o que diz a Bíblia em Provérbio: Quem ama, castiga-o na hora precisa. (Pr 13,24). Qual é o filho a quem seu pai não corrige? (Hb 12,7). Tem dados momentos em que os pais têm que “pisa no freio”, ou “puxa o cabresto”, enquanto há tempo.

Eduque em quando puder, pois chegará um momento em que os pais perder toda sua autoridade.

Antes de tudo lembre-se sem amor não se pode educar.
Sinta orgulho de seu filho. Um dia ele terá orgulho de ter uma família amorosa e firme na hora certa.
REFLITA

1 de jun de 2013

LIBERDADE DA ESCOLHA


Não permita que os outros impeçam de ser feliz, isto é, o que a outra pessoa diga não pode aborrecê-lo ou irritá-lo. Uma pessoa emocionalmente madura, não responde negativamente às criticas e ressentimentos dos outros.  
Todo o pensamento, a emoção, a reação e a ação, tudo isso é gerado na própria mente, e muitas vezes só trazem sofrimento.
Escolha ser feliz, controle suas emoções, sejam sábias e serenas. Não permita que os outros digam o que fazer para ser feliz. Nem busque essa felicidade nas coisas ou nas pessoas. Ela esta dentro de você. Para alguns a felicidade é apenas um estado de espírito.
 
Deseje para os outros, o que deseja para si próprio.